Uma salva de palmas para o melhor CD do ano

 

“Pato Fu – Música de Brinquedo”. Esse é o nome da obra-prima de 2010. Quando você já não aguenta mais ouvir falar de Fiuk e Restart (que fazem um sertanejo/pagode ao som de rock) eis que surge a esperança na música brasileira, ou seja, o novo CD da banda mineira Pato Fu. A obra possui 12 músicas de outras bandas, mas o detalhe principal é o seguinte: todas as faixas foram gravadas com brinquedos. Os músicos não usaram instrumentos comuns, mas brinquedos como instrumentos. Isso tudo sem contar as participações pra lá de especiais de crianças no álbum.

O CD ficou a coisa mais lindo do mundo. É impressionante como tudo deu certo. Guitarras, teclados e baterias de brinquedo, gatinhos mecânicos, xilofone, caneta que emite som ao escrever e mais um monte de outros instrumentos de brinquedo, ou melhor, brinquedos como instrumentos. Tudo isso foi usado na gravação, sem contar a participação da Nina,  filha da Fernanda Takai e do John Ulhoa, com outros amiguinhos. O álbum foi feito de versões de músicas dos Titãs, Paul McCartney, Rita Lee, Elvis Presley e de vários outros artistas. O trabalho é a reinvenção de músicas famosas e conhecidas do grande público por um prisma totalmente diferente e criativo.

Tenho certeza que qualquer músico ficaria encantado com o resultado do trabalho, pois é incrível como tudo deu certo. A união da doce voz de Fernanda Takai às vozes infantis dos backing vocals mirins deu um resultado simplesmente lindo e emocionante. Pra mim é o melhor CD do ano e a banda mineira merece reconhecimento por isso. Ter a ideia de fazer um álbum apenas com brinquedos é extremamente original. E fora a criatividade, o esforço pra fazer tudo possível, o trabalho de recriar as harmonias e acordes e de refazer tudo usando simples brinquedos.

Estou viciada no CD e a única reclamação que tenho sobre ele é a seguinte: Por que o álbum não tem 50 faixas?

 

 

 

 

Anúncios