Eu gosto de música inteligente

Depois de um ano e dez meses de abandono, eis que retorno ao Abelha Fístula. Fiquei longe porque não tinha nada a dizer, ou porque não me animava a organizar meu pensamentos em um texto. Mas agora a vontade de escrever voltou. E voltou por conta de minha série favorita: Dexter. Pretendo reativar o blog falando sobre a série, fazendo um resumo das temporadas anteriores, minha expectativa para a season 7 e qualquer outro detalhe que achar pertinente. Mas primeiro…

Após sofrer tentando lembrar a senha do wordpress e modificando o banner do blog, finalmente volto ao campo de artigos e encontro um rascunho de abril de 2011. Pra não deixar o texto abandonado resolvi postá-lo. Mas para isso precisava concluir o artigo, mas não consegui. Ou não tive ânimo. Difícil retomar a linha de raciocínio depois de mais de um ano. Por esses motivos decidi publicar o texto do jeito que tava, só para dar o pontapé inicial da nova fase do Abelha Fístula. Então, segue o post encalhado:

—————————————

Após eu reclamar do volume do som e criticar os hits do momento, ouço um bando de gente me perguntando: Afinal, de que música você gosta? Aí eu paro, respiro, e tento me lembrar que a “única música” que muitas pessoas gostam é a mesmice que toca nas rádios FM. E diga-se de passagem, muitos seres humanos acreditam que as únicas músicas que existem no planeta são as que tocam nas rádios FM da vida.

Às vezes é difícil dizer qual estilo de música eu gosto ou não. Diria que só não aguento ouvir mesmo funk, rap e axé. Não gosto de sertanejo, não compros cd’s ou dvd’s, não vou a shows, não baixo músicas, enfim… é um estilo musical que eu não consumo e que não gosto tanto, mas é impossível dizer que não conheço nenhuma música sertaneja. Fui criada ouvindo as famosas duplas e hoje, mesmo que não queira, conheço os hits do Luan Santana e Michel Teló. Afinal, eu vivo no Brasil, mais especificamente em Minas Gerais, local onde o estilo de música favorito da maioria das pessoas é o sertanejo, então é impossível não ouvir esse estilo em qualquer lugar que se vá.

Em relação às músicas que gosto, diria que gosto das músicas inteligentes. Não vou falar de voz, de afinação, de instrumentos, dos melhores guitarristas ou bateristas porque não entendo muito disso. Mas acho que sei um pouco de letra, né?! Então diria que gosto das canções inteligentes. O que eu quero dizer com isso? O que seria uma música inteligente? Pra mim é uma canção em que você percebe que o compositor teve trabalho para fazer, a letra precisou de conexões, repertório e inteligência para ser criada.

Um exemplo disso é Desconstruindo Amélia, da Pitty. Impossível ouvir a canção sem se lembrar de Mário Lago, o criador da Amélia (aquela que era a mulher de verdade). Como diz o próprio título, a roqueira destrói a Amélia de Lago e cria outra, ou seja, a Amélia do século XXI.  Zeca Baleiro e Lenine também fazem dezenas de músicas assim, músicas que de um jeito ou outro fazem pensar. Você pode gostar ou não dos artistas que citei aqui, mas há de se concordar que qualquer refrão que tenha mais de cinco palavras é superior a qualquer tchu tcha tcha da vida.

Anúncios