Balanço final de Dexter: Do luxo ao lixo em oito anos

Dexter

E aí, fãs?! Estão tristes/decepcionados/chateados e sem vontade de cantar uma bela canção após o fim de Dexter? Pois é, tudo de ruim que vocês estão sentindo agora eu passei no 2º episódio da 7ª temporada. Naquela ocasião escrevi um texto (https://abelhafistula.wordpress.com/2012/10/08/eu-esperei-por-isso-serio-dexter/) explicando todos os motivos da minha decepção com o fatídico “Sunshine and Frosty Swirl”, e apontei que dali em diante seria impossível vir qualquer coisa boa da série. Na época fui muito, MAS MUITO xingada neste adorável espaço que é o Dexter Brasil. Os fãs (a maioria formada por quem não sabe argumentar e leva tudo a ferro e fogo) me ofenderam de diversas maneiras, usando como escora o fato de eu não poder dizer que uma série tinha acabado quando ainda faltavam 22 episódios para a series finale. Pois bem, você que continuou acreditando, a série foi boa de lá pra cá? Gostou do final?

Lixo ou porcaria? Triste ou estranho? Decepcionante ou esperado? É difícil dizer o que foi esse final, mas era impossível Dexter acabar de uma maneira satisfatória. O problema não foi o episódio/temporada final. O problema são as últimas quatro temporadas. Dexter levou um tombo feio no 5º ano e não se levantou mais. Teve um fôlego bom no início do 6º e se perdeu com a morte de brother Sam (um dos melhores personagens convidados) e com o insosso Tom Hanks Jr. A 7ª temporada foi um lixo fenomenal (ou alguém se esqueceu do plot super esperado de Louis que se evaporou como água, ou do mafioso que decidiu se vingar SOZINHO?) que apenas teve sequência em 2013. Dexter deixou de ser um homem inteligente para se tornar um adolescente apaixonado que faria um Facebook de casal (ótima sacada, Carla Gomes). A série de um serial killer terminou com um lenhador. Ótima piada para explicar esses oito anos.

Mas de qualquer maneira, é bom lembrar que é impossível agradar a gregos e troianos. Até uma série que permanece sempre ótima pode ter um fim decepcionante. Eu, por exemplo, só vi um final perfeito de série dramática até hoje: Six Feet Under.

O final

As ideias do final não foram ruins. Gostei de Dexter isolado. Antes isso do que em lua-de-mel na Argentina. Gostei de Debra morta, pois nunca imaginei outro fim pra ela. Mas a morte da segunda personagem mais importante da história (e minha favorita) precisava ter sido desencadeada por um personagem que surgiu aos 48 do segundo tempo? Quem é Saxon na fila do pão? NINGUÉM. Até o fraco esfolador será mais lembrado pelos fãs do que o homem de uma expressão só que é Saxon.

O filho de Vogel, assim como a própria Vogel, surgiu do vento. Vogel de repente se tornou mais importante que Harry. E não me venham falar que ela criou o código, porque tenho certeza que a possibilidade de uma psicanalista aparecer no meio da história nunca foi a intenção de quem deu base à série. Mas se alguém ainda compra essa ideia, ok. Mas comprar o Saxon, que foi inserido do nada, depois de dois minutos de conversa entre Dexter e Vogel é demais.

Dexter e Debra hospital

Eu me esforcei muito para esquecer todas as falhas da série (I tried just let go). Tentei apagar as últimas quatro temporadas e ver esse final como se fosse o capítulo seguinte à morte de Rita. Mas é claro que não deu. Porém achei até legalzinho Dexter matar a irmã. Afinal, quem não se lembra da 3ª temporada, quando Dexter dá a torta perfeita que livraria Camila (tia do arquivo, amiga do Harry, pessoa que conhecia a história de Dex) do sofrimento do câncer? Naquele episódio Deb diz ao irmão que gostaria de ser morta se fosse pra ficar numa cama. Partindo disso, e de várias outras coisas, o final teve sim um sentido.

Debra morreu por causa de Dexter, era óbvio que seria assim. Ela sempre sofreu por ele, foi subjugada por ele, ignorada por ele, nada mais coerente do que morrer por culpa dele. E também foi bom vê-lo tendo que cometer o assassinato mais difícil da vida. A irmã, que foi sua vítima durante toda a vida, foi a última a preencher sua kill room. Teve certa poesia.

Mas por que jogar a irmã no mar, no mesmo lugar onde ele jogava suas vítimas frias, vis, assassinas e cruéis? Ele jogou a pessoa que mais o amou no buraco negro onde ele se livrava da escória do mundo. Isso não teve poesia. Foi apenas pra fechar com chave de ouro com todo o desrespeito que a ótima, e antes forte, personagem Deb sofreu nas mãos dos preguiçosos roteiristas.

Também não curti Harrison ser criado por Hannah. Pobre Rita, ter seu filho criado por uma assassina. Hannah sempre usou sua loirice e beleza para viver às custas de algum homem, que depois era morto por ela. O que a impede de fazer o mesmo na Argentina? Dexter se afastou do filho para ele não sofrer com seu dark passenger, mas o entregou a uma outra assassina. Cadê critério? Era melhor ter deixado o menino com Astor e Cody.

Deb morreu por causa do vilão mais ridículo/fraco da série

Deb morreu por causa do vilão mais ridículo/fraco da série

Referências

Para tentar salvar o final, esta temporada usou muitos recursos que há muito não eram explorados. Como a trilha sonora de Daniel Licht, que havia sido esquecida nos últimos anos, e os ângulos de câmera usados no primeiro ano. Também houve referências claras, como o caminhão de gelo do último episódio, o tiro na barriga de Deb (mesmo ponto atingido pela filha de Trinity), a mesma posição dos irmãos no quarto do hospital (4ª temporada), e Saxon falando a frase inicial do show: “Miami is a great town. I love the cuban food. Pork sandwiches, my favorite…”. Tudo isso teria sido lindo, poético e explodido nossa cabeça se a série ainda pudesse ser levada a sério. Mas como isso não é o caso, foram apenas tentativas forçadas de criar empatia.

Alguns furos

Durante toda a série li reviews por aqui e em outros sites e sempre dei minha opinião, inclusive em meus textos (muitos publicados aqui). Sempre falei o que estava achando e critiquei vários pontos da trama. Mas muitos me rebatiam dizendo que eu estava me apressando, e que depois tudo aquilo iria fazer sentido. Bom… ainda não fez sentido. Ou melhor, fez sentido sim. Todas as falhas eram de fato falhas, e não plots que estavam aguardando seu desfecho. Muitas histórias e personagens foram criados e geraram muita expectativa, mas depois eram apenas retirados da trama sem qualquer explicação.

Debra e Quinn

Uma de minhas reclamações é o fim do namoro entre Deb e Quinn. Entendo que muita gente não goste do policial, mas eu sempre comprei o casal. Não acho Quinn tão horrível assim, pelo contrário, gosto do jeito sem graça e até de sua feiúra. Pois uma coisa que me incomoda são séries americanas onde TODOS os personagens são lindos e maravilhosos. Isso é o ponto positivo em Dexter, gente feia. Mas enfim… Deb terminou com Quinn apenas para, lá na frente, inserirem o plot da paixão por Dexter. Em nenhum momento pensaram em como o relacionamento foi iniciado e qual o sentido que ele faria pra trama. Apenas jogaram Quinn para escanteio, que dali em diante não teve mais função alguma na série.

Em relação ao plot amor romântico entre Dexter e Debra, confesso que não fiquei tão chocada como todos. Acho sim que poderia nascer um casal dali, mas não da maneira como foi feito. A questão não são os plots, a questão é que eles são mal criados e desenvolvidos. Se a série desse pistas de uma possível tensão sexual entre eles desde a 1ª temporada, e Deb tivesse despertado para isso por si própria (e não por inception da psicóloga), até que rolaria.

O triste deste plot, que teve início com a recusa de Deb em se casar com Quinn, foi que os roteiristas não confiaram na sólida e ótima base da série. O amor fraternal de Deb por seu irmão já era suficiente para ela aceitar Dexter assassino. Ela já amava o irmão o bastante para não entregá-lo a polícia. Não havia a menor necessidade do plot romântico.

Personagens desnecessários

Louis, Isaak, Jaime, Saxon, Neurocirurgião, Detetive Miller, Elway, Mike Anderson, Nadia, Liddy, Cassie, Zach e por aí vai. O problema não são os atores ou até mesmo o plot inserido para cada personagem, o problema é que todos foram mal desenvolvidos. Miller ganhou a promoção de Quinn e desapareceu. Zach, outro pupilo, pra quê? Nadia namorando Quinn, qual o sentido? Liddy teve uma morte estúpida. Mike não disse a que veio. Louis não preciso nem falar. Mas preciso reconhecer Isaak, afinal só a beleza estonteante de Ray Stevenson com aqueles ternos feito sob medida para fazer com que eu assistisse à horrível 7ª temporada.

elway

O problema é que não foram apenas os personagens convidados que não tiveram importância na série, os coadjuvantes também perderam espaço. Dexter sempre foi uma série de dois personagens, Michael C Hall e Jennifer Carpenter carregaram oito anos nas costas (com algumas ajudas como Rita, ITK e Trinity). Foi triste ver as piadas de Masuka perderem a graça, ver Batista sem rumo, ver Quinn sem motivo pra existir, ver LaGuerta patinando num relacionamento sem pé nem cabeça com Batista, e por aí vai.

Dexter apaixonado

Agora vamos falar de sentimentos. E pra isso preciso definir uma coisa: Dexter não é psicopata, ele apenas tem características de um psicopata. Digo isso porque é impossível para uma série de TV, em 96 episódios, manter um personagem puramente psicopata. Vimos que Dexter tem sentimentos, ele amou a irmã, o filho e as namoradinhas, isso e outros detalhes jogam por terra sua psicopatia. É impossível para um show que visa entreter, divertir e emocionar o público manter um personagem preso aos sintomas do transtorno. Dexter precisava ser maleável, modificado ao bel prazer de seus produtores, para assim criar empatia com o público.

Essa cena foi constragedora

Essa cena foi constragedora

O fato dele ter sentimentos era ótimo pra série, pois tornava tudo ainda mais complicado, mais cinza. Mas o amor desmedido e sem nexo por Lumen foi ridículo. E a paixonite adolescente por Hannah também. Foi um desrespeito com os fãs Dexter acabar de enterrar a esposa (que morreu por sua causa) e dois minutos depois cair de amores pela sem sal Lumen. Depois da morte de Rita esperava que a série fosse fundo no lado dark e que as coisas ficassem mais eletrizantes, assustadoras e perigosas. Mas depois que Rita se foi, Dexter se transformou numa novela mexicana, com um homem que ama a primeira loira que passa pela sua frente. Quem diria que Rita, considerada por muitos como chata e uma pedra no sapato, seria o divisor de águas entre o luxo e lixo de Dexter?…

Enfim acabou

Sempre pensei que iria sofrer com o final de Dexter, imaginei que seria difícil me desapegar da série. Mas a tristeza veio por um motivo diferente, veio pelo declínio gigantesco que a série sofreu.

Nos primeiros ano eu fiz milhares de teorias sobre o que poderia acontecer, sofria de antemão pela relação Deb/Dex após a tão esperada descoberta e tentava conjecturar o que viria pela frente. Fiz tudo isso porque, até a 4ª temporada, tudo era bem estruturado. As histórias tinham início, meio e fim. E tudo isso era muito bem ligado e embasado.

Mas a partir do 5º ano parece que jogaram todo o resto no lixo e partiram do zero. Acabou o homem frio e inteligente para dar lugar a um cara que acredita de todo o seu coração na primeira pessoa com cara de vítima que aparece na sua frente. Acabou a policial forte, honesta e boca suja para dar lugar a uma mulher que se deixa subjugar por um irmão egoísta e manipulador.

Oi, meu nome é Dexter Morgan. Eu sou um lenhador.

Oi, meu nome é Dexter Morgan. Eu sou um lenhador.

Sim, fiquei triste com o fim de Dexter, mas por um motivo diferente. O fim da série pra mim foi no último ano. E olha que ainda fui idiota o suficiente para achar que a 6ª temporada seria ótima. Agora, depois de ver tanta história sem pé nem cabeça, sinto apenas alívio por ter me livrado da obrigação de ter que ver como essa história ia terminar.

Séries são produtos da mídia que visam lucro, é isso. Mas é uma pena ver como Dexter abriu mão da arte, da coerência, do belo em se contar uma história bem amarrada para se render apenas aos números da audiência. Falem bem ou falem mal, mas falem de mim. Foi isso que a série se tornou. Dexter foi destruída pela ganância de seus produtores. Mas vamos sorrir gente, não vamos morrer por causa disso e nem criar brigas desnecessárias. Afinal, it’s just entertainment, baby!

*Dexter chorou mais a morte de Vogel (pessoa que ele conhecia há três semanas) do que a perda da irmã

*Elway não tem bunda

*Por que alguém acreditaria que Dex foi passear de barco em meio a uma tempestade?

*E ninguém quer saber onde está Harrison?

*O blábláblá da Argentina era tão falado, o FBI viu a pesquisa no laptop de Dexter sobre América do Sul, mas ninguém vai dar uma visitada no lado de baixo do globo para procurar Hannah?

*Jennifer Carpenter deve te dados pulos de alegria com a morte de Deb, pois assim ela se livrou de um possível spin-off.

Anúncios

61 thoughts on “Balanço final de Dexter: Do luxo ao lixo em oito anos

  1. Emanoel diz:

    tb achei decepcionante esta última temporada, como as quatro últimas e a terceira tb. dentre incontáveis falhas na ultima temporada, percebi uma que logo chamou minha atenção: me refiro a história meia boca da antiga relação de Harry e a psicanalista, “criadora do código”. nos vídeos os quais harry se consulta com ela para falar de Dexter, tais vídeos relatam os relatos de Harry sobre os assassinatos que ele presenciara do filho. O ritual de Dexter de colocar as fotos das vítimas na “sala da morte”, para que o ser julgado visse. nos vídeos harry diz que só no terceiro assassinato do filho que ele passou a adotar essa prática. Entretanto há uma grande contradiçao aí: se vc voltar na segunda temporada, na qual dexter está a conversar com Dolkes enjaulado, -quando dexter descobriu que harry tinha se matado-, dexter afirmou que após harry ter presenciado O PRIMEIRO ASSASSINATO do filho…ele não suportou, chegou até a vomitar…(cena esta significativa). e 3 dias depois daquele dia medonho, harry tinha morrido. como entao harry conversou com a psiquiatra sobre o filho assassino?!?! sendo que mau aguentou presenciar o primeiro assassinato realizado pelo filho!!? morreu logo em seguida!! e como nos vídeos da psiquiatra, harry conta todo aquele desenvolvimento do filho em matar pessoas?

    • Infelizmente não lembro de muitos acontecimentos, mas tenho certeza que essa foi mais uma falha da série.

      Eles tocaram a série pra frente sem se preocupar em absolutamente nada com toda a construção feita previamente do personagem.

  2. Melhor análise que já li, concordo com tudo, menos que a Lumen seja um pé no saco. Zach poderia ter dado uma reviravolta na série muito boa. Eu faria Harrison virar um serial killer mirim na Argentina, Dexter receber notícia de que “animais” estavam sendo mortos e se obrigando a voltar a ativa (já que é pra ficar isolado)….

  3. joao diz:

    Acabei e ver a série pela 2ª vez e julgo esta é uma série que vai um pouco mais além que outras séries. Ela apela a uma reflexão e a questionarmos as possibilidades da nossa vida tal e qual como Dexter faz. Decisões importantes e ponderadas, que mudam o curso da vida (dele e dos outros assassinos e das suas potenciais vítimas). As respostas que às vezes estamos à espera, não existem, isso é facto, tal como na vida real, e isso adiciona interesse, ao contrário de outras séries…
    É muito bom

  4. Felipe diz:

    Acabo de ler o review e desistir de assistir o final da série. Parei aos 34:36min do 8×10, simplesmente impossível acompanhar a série. Fico abismado e perceber como a série perdeu qualidade ao longo das temporadas, concordo com quase tudo que li por aqui.
    Também achei a quarta temporada a melhor e a morte da Rita um divisor de águas. Porém, acreditei que isso o faria mais humano, mas nao isso que aconteceu! Achei que a morte da Rita o chocaria e que ele perecebesse que de fato sentiu algo tão forte como o amor por ela, que seu filho (a herança desse amor) fosse capaz de faze-lo repensar sobre sua vida e tudo o que ele fez, nao que eu desejasse que ele deixasse de ser um assassino (afinal esse era tema da série), mas, jamais imaginei que todo o henredo construído até o final da quarta temporada fosse jogado no lixo e entupido de lavagem nos anos seguintes. Jamais vou conseguir engolir o fato dele simplesmente se apaixonar loucamente pela Hannah em tão pouco tempo, de ter preferido ela à própria irmã! (Ele a entregou pela Deb sim, mas, nunca confiou na própria irmã)
    Tanta coisa inutil na serie que nem vou comentar.
    Tudo o que sinto é uma decepção por essas ultimas temporadas, se perderam completamente.
    Eu achava que o final de The Following tinha sido fraco e decepcionante, mas, Dexter foi muito mais abaixo, e o pior, após o maior gancho para uma história completamente foda, eles destruiram 4 temporadas com histórias fraquissimas (vou tentar terminar de ver xP)
    Ps: achei o final de The Mentalist perfeito, como toda a série. Se alguem nao a viu, recomendo

    • A verdade? Nem quero ver o final.Também concordo com a autora que tipo de pessoa ao perder a mulher ficar com Lumen ,mas tudo bem . Entendi como uma mulher que poderia aceitá-lo do jeito que ele é?Mas que merda Dexter é para entregar um filho fruto do amor que ele sentiu e ainda senti pelo filho para entregá-lo a Harrah? Uma sociopata? Se ele queria se redimir poderia ter feito simplesmente isso: Ter se colocado da frente na irmã elevado o tiro e ela ter criado o Harrison .Ou simplesmente ter fugido do país e ter “desaparecido” com o filho e controlar ou não seu desejo de matar e mostrado ao filho que é um bom pai.Ter mostrado ele no psicologo ou psiquiatra para mostrá-lhe que ele não é um psicopata ou sociopata ou se é mostrar um lado bom com um especialista fascinado por esse lado sombriu dele ? Ter mostrado o que ele senti realmente ao matar alguém, saciar sua sede de matar e viver a vida a cuidar do filho ou matar mas o filho aceitá-lo.Esse era um final digno e o enterro? Cadê? Deveria ter acontecido ao mortar a irmã bem que deveria,não ? Mas que merda é um homem do sangue para matar sua chefe ? Estou chocada ,supresa e me sentindo uma idiota por ter criado uma grande expectativa… Caramba ele matava assassinos para o mundo ficar melhor e depois quer se redimir ? Tudo bem,tudo bem .Quem ele é para matar pessoas com as próprias mãos? E a maneira ele focou burro,autora, como ele ficar burro ? Que loucura !

  5. anderson diz:

    Bom . Eu achei dexter um ótimo seriado diferente nos apresentando uma nova forma de ver um serial killer matando outros
    até a 4 tempo foi ótimo . Ate mesmo a morte de rita foi necessário . Mas a partir da 5 tempo ficou fraco e pobre nas demais tempo . Eu ainda consegui engolir em ver ate a 7 tempo . Mas tiveee um ódio pela morte de maria laguerta . Feriu o código de ética dele emmm nunca matar uma inocente . Ali a serie morreu pra mim . Culpa por roteiros mal feitos sem embasamento , sem um sentido , sem logica sem nada foi tão descepicionante que chegou a me irritar

  6. junio diz:

    depois da morte de Rita, eu ja esperava que que as proximas temporadas seriam abaixo da media, mas o final foi muito RUIM. mesmo assim, foi um dos melhores seriados que ja assisti.

    • Eu acho a segunda metade da série um lixo. Mas ela é uma das séries que mais gostei. O apego e paixão que tenho por ela não mudaram, mesmo achado as temporadas finais um lixo.

  7. Bom tô meio atrasado mais só ví dexter por causa da Yvonne Strahovisk,ví a série toda esse ano.
    Bom concordo com vc depois da morte da Rita e a morte do TRinity foi um lixo mesmo.
    Mas acho q os escritores depois quiseram fazer o dexter mais humano apesar q acho q ele deveria ficar mais darker.
    Dexter e Hannah bom a cena q eles transam na mesa zuada mesmo a não ser por mostrar a Yvonne nua,Dexter achou a mulher q ele queria q aceitasse ele como ele era com esse lado sombrio foi o que a Hannah fez.
    Ver ele como adolescente apaixonado isso foi para mostrar q ele era humano ou tinha um lado.
    Mais acho q a Hannah deveria matar a DEb e o DExter matar a Hannah e a última temporada ele deveria ser mui mais muito dark.

  8. Adorei sua breve análise da série, a qual só terminei de ver recentemente… A melhor parte foi seu comentário sobre ele ter deixado o filho com Hanna kkkkkk pensei exatamente isso! Como pode preferir sumir e deixar o filho com ela?? kkkkkkkkkk Morri! Para mim, foi um final sem pé nem cabeça! Não vi sentido! Realmente não achava que ele seria “feliz para sempre”, mas aquilo que virou?? O cara era “superinteligente”, como pôde acabar daquele jeito! Poxa, se deixou de ser assassino, tudo bem, mas ficou burrão também? Não consegue mais usar a mente para algo realmente interessante? Sei lá, esperava até a morte de Dexter, mas nunca isso!

  9. Marcela diz:

    Concordo em parte com o que você escreveu.
    Porém o que me chamou atenção foi o temo usado pra descrever atores negros, talvez ,e repito talvez, não tenha sido a sua intenção, mas o termo “de cor” é complemente perjorativo. Tente usar a palavra “negro” da próxima vez.

  10. Iceman diz:

    Não existe outro final possível senão de Dexter sendo morto, só assim ele vai parar de matar.

    Se bem que ele deixou de ser psicopata há muuuuuuito tempo.
    Horrível essa humanização forçada que fizeram com ele.
    Colocar certos conflitos internos tudo bem, afinal de contas, não é só pq o sujeito é psico que ele mata a família, por exemplo.
    Mas a série falou que a vida inteira ele sentia compulsão para matar, ae nos últimos capítulos da série ele simplesmente não sente mais vontade de matar? Simples assim? E tudo por causa de uma loira chata?

    Na minha opinião cagaram a série.
    É obvio que deixaram o Dexter vivo para deixar aberta a possibilidade de prolongar a história.

    Mas deixar o Harrison com a Hannah foi para jogar uma pé de cal por cima da série.
    Como já disseram, após a morte da Rita, a série entrou em declínio e nunca mais se recuperou.
    A única série que está pior do que Dexter nos últimos tempos é Walking Dead.

  11. Kesia diz:

    Querida Débora.
    Estou triste com o desfecho da minha série predileta dos últimos anos!
    Porque tanto descaso com os(as) fãs esse pessoal da equipe de roteiro-direção-produção tiveram?!
    O problema NÃO foi a humanização do protagonista, mas, como isso foi feito.
    Nas primeiras temporadas, estava claro que apesar de todas as caçadas e eliminações das “sujeiras humanas” de Miami, Dexter sempre buscou ter uma vida normal, sempre buscou estar em contato com seus sentimentos.
    Quero fazer algumas observações sobre vilões, personagens secundários, tramas, etc:
    Sobre os vilões(ou quase vilões, ps: não citarei o Brian e o Trinity porque eram incríveis e ponto):

    5ª temporada: O Jordan Chase era um personagem rico(apesar de eu achar o Johnny Le Miller bem mediano) e que ficou em segundo plano por causa de “romancezinho” de Dexter com Lumen. A trama que envolvia os masculinistas tinha TUDO pra ir a fundo e mostrar o ódio e a ignorância destes indivíduos.

    6ª temporada: Travis Marshall = curiosamente já vi filmes com o Colin Hanks e o acho um ator mediano. Mas, seu Travis era muito ambíguo e mal formulado. A trama dos “Doomsday Killers” foi arrastada pq praticamente todo mundo já sabia que era apenas o Travis que matava as pessoas.

    6ª temporada: O Louis = era um personagem que tinha td pra ser bem desenvolvido e foi reduzido a “filhinho de papai” mimado!

    7ª temporada: O Isaak Sirko = junto com a trama da máfia ucraniana eram pra terem sido melhor explorados.

    Primeiro: O Viktor devia ter ficado nos dois primeiros episódios e deviam ter mostrado ele matando a garota da boate pra mostrar todo o horror e covardia dos traficantes de mulheres contra as vítimas!
    Segundo: O Isaak era pra ter tido MUITO mais cenas, ter tido maior destaque invés de tramas banais como: Quinn e namoradinha stripper ou qualquer encheção de linguiça do tipo.
    Terceiro: desculpem quem achar que sou sádica, kkkk, mas, a rivalidade entre ucranianos e colombianos prometia um “banho de sangue” que podia agitar Miami, mas, NÃO aconteceu!!
    PS: o ator que interpretou o Isaak, o talentoso e bonitão Ray Stevenson participou da ótima série épica Roma e fez a continuação do Justiceiro. É um ator excelente, que se tivesse sido mais valorizado e os roteiristas tivessem escrito mais cenas pra ele, com certeza seria o equivalente ao Gus Fring de Breaking Bad, um vilão “politicamente incorreto”(vcs sabem porque), raivoso, e que partiria com tudo pra tentar destruir o Dexter, NÃO pra se aliar a ele. Outra, que cena ridícula de morte pro personagem! O homem ENFRENTAVA o Dexter e fazia este se cagar de medo!! Como é que se alia ao cara que ele queria matar?! E de quebra leva o tiro na cintura(obsessão desses roteiristas com esta área do corpo, kkk) e pede pro Dexter deixar ele morrer no seu barco?! Enfim, roteiro medíocre e covarde para o personagem mais interessante da 7ª temporada e um ator que estava roubando cena com o pouco que lhe deram!

    7ª e 8ª temporadas: Hannah McKay – Linda, dissimulada, fatal!
    Não fui contra o Dexter NÃO matar ela. Achei naquele momento que era uma possibilidade do personagem ser traído pelo seu desejo(sei, é o mesmo nome de um ótimo filme, kkkkkk).
    Tinham infinitas possibilidades para essa mulher!
    Colher provas contra Dexter, se aliar ao Isaak para ferrar com o Dex, matar um dos enteados, matar um dos policiais das Miami Metro que descobrisse sobre um dos assassinatos que ela cometeu, etc.
    A imaginava como uma mulher que o Dexter enxergaria alguém que pudesse amar e confiar, mas, que ele acabasse sendo f…dido, kkk, por ter confiado em quem não devia!
    Ela cometeu algumas vilanias na 7ª temporada sim (matou o Sal Price, fez o Dexter matar o próprio pai dela e tentou matar a Debra).
    Mas, seu potencial foi desperdiçado e seu charme residia na sua maldade!
    Perto do final da 7ª e no desenrolar da 8ª ela ficou uma mulher apática, sem graça, ambígua, “coitadinha”. Torci pra que toda essa imagem fosse uma “pegadinha” esperta dos roteiristas pra mostrar depois ela aprontado para o Dexter. me enganei.

    8ª temporada Saxon = se tornou vilão mesmo só no 10º episódio quando matou a própria mãe, a dra Vogel!
    Embora fosse responsável pela morte da vizinha do Dexter e do Zach(dois personagens superficiais), se tornou vilão quando apareceu assassinando sua mãe!
    A partir daí entrou em uma espiral de loucura, mas, de forma bem superficial e rasa.

    Outros personagens não-vilões:

    Lumen = deveria ter sido interpretada por outra atriz, uma sugestão: Cristina Ricci(veja a atuação explosiva da moça no filme “Entre o Céu e o Inferno” e veja se não tenho razão!). Sem falar que não deveria ter um romance dela com o Dexter talvez no máximo uma noite de despedida dela de Miami!!

    Quinn = poderia ter se transformado em vilão por que: já pegou dinheiro de uma casa(na 4ª temporada), perseguiu o Dexter junto com o corrupto agente Liddy(outro desperdiçado!) pra desmascará-lo, aceitava suborno da máfia ucraniana e ajudou o Isaak a ser da cadeia, matou o George, dono da boate, a sangue frio e simulou ter sido em “legítima defesa”.
    Ele sempre mostrou que não era “flor que se cheirasse” e torcia pra que na 7ª ele se tornasse vilão em decorrência da rejeição da Deb. Queria tanto que a LaGuerta descobrisse sobre a morte do George e o denunciasse à corregedoria e ele MATASSE a LaGuerta(invés de ser a Deb a fazer isso). Me enganei!!!!

    Batista = Um cara que foi evoluindo a cada temporada. Virou tenente na 8ª merecia ter tido mais consideração.

    Miller = Dispensável, a menos que criassem uma boa trama pra ela devido à promoção, mas, não aconteceu!!

    Astor e Cody = enteados que podiam ter sido vítimas ou do Isaak ou da Hanna. Se tornaram meros “figurantes com falas” nas duas últimas temporadas, sendo assim nem precisavam aparecer pra ocupar espaço!!

    Matthews = um capitão da polícia que NEM desconfia do Dexter?! Conhecia o Harry, conheceu o Dex e a Deb desde crianças, como não desconfiava de nada?! E a conversa da LaGuerta com ele?!Por mais que ele não gostasse dela, não tinha como ficar desconfiado do Dexter?!

    8ª TEMPORADA

    La Guerta foi citada pela ridícula homenagem de um “banco de praça”.
    O pequeno Harrison só era mostrado pra criar algum suspense se ele descobriria(mesmo com apenas 4 anos) se o pai é um assassino. Além disso mostrado tb pra sorrir e, recentemente, ficar chamando a Hanna de “mamãe”!
    Vogel era uma personagem intrigante vivida por uma grande atriz(Charlote Rampling), e o tempo todo parecia manipular o Dexter. Foi reduzida a uma péssima profissional que não consegue ajudar seus pacientes, uma mulher tola que acredita na redenção do filho serial killer.
    Vizinha do Dexter = entrou só para encher linguiça e ser morta. Personagem bem dispensável!
    Zach = não vi NENHUMA razão pro Dexter achar um “substituto”. Trama desse garoto foi muito boba e fútil!

    Rita não foi nem lembrada nenhum momento, simplesmente a mulher com quem Dexter passou as primeiras 4 temporadas junto, casou, e deu um filho pra ele, foi meramente IGNORADA!!!

    PRINCIPAIS

    Dexter Morgan = analista de sangue da Miami Metro. De aspecto nerd e comportamento sarcástico e anti-social, ele me conquistou de cara(sem falar que o Michael C.Hall e muito lindo!) assim como conquistou vários(as) fãs pelo Mundo!
    Entre caçadas à “escória de Miami”, seu trabalho, sua irmã e sua namorada e enteados, Dexter ia se revezando em assassinatos sem culpa, ações frias e calculadas, com momentos ternos em que encontrava seus pontos de humanidade.
    Porém a partir da 5ª temporada, já viúvo, sua “humanidade” foi por outros caminhos.
    Se tornou mais tolo, ingênuo e acreditando em todo mundo, confiando em todo mundo, justamente não confiando em sua irmã!!
    De homem frio e calculista mas que buscava sua humanidade, passou a ser um “adolescente de meia-idade” que não calcula suas ações. O personagem se esgotou e a outrora ótima atuação de Michael passou para um justificado “piloto automático”.

    Debra Morgan = divertida, charmosa, desbocada, impulsiva e explosiva policial da Miami Metro e irmã do protagonista. A personagem foi se modificando bruscamente por variadas razões. Mas, uma que achei indefensável foi uma mera psicóloga tê-la induzido que sentia algo “a mais” por seu irmão. Como uma mulher madura e inteligente como a Deb acredita numa merda dessas?! Não era melhor mandar um “fuck you” pra psicóloga de “botequim”?!
    E temporada atrás de temporada, fazendo td que o sr Morgan quer, incluindo dar abrigo para uma mulher que tinha tentado matá-la na temporada anterior! Fala sério!
    A visceral atuação da adorável Jennifer Carpenter não foi suficiente pra conter os estragos que a equipe de roteiro fez contra sua personagem!

    Enfim, é isso!
    Eu não queria final feliz pq não tinha a ver com o protagonista, nem com a série, mas, foi td corrido, mal escrito, mal dirigido e mal desenvolvido! Infelizmente um último episódio não seria capaz de reparar uma temporada inteira perdida!
    A equipe responsável pelo: roteiro, direção, e produção, não tiveram respeito pelos atores e atrizes que participaram das últimas temporadas(em especial: Peter Weller, Johnny Le Miller, Shaw Hatosy, Mos Def, Ray Stevenson e Charlotte Rampling, ótimos atores que tiveram seus personagens bem desperdiçados), não respeitaram os protagonistas pois com bons roteiros eles poderiam ter a possibilidade de serem indicados ao Emmy, e, principalmente traíram todos(as) fãs da série, deixando um gosto de desilusão em todos nós. Desculpa o desabafo.
    Abraço Débora.

    • abelhafistula diz:

      Ótimo comentário, Kesia.
      Sobre o Jordan Chase, uma coisa que sempre me incomodou é a covardia dos roteiristas. Chase estava sendo caçado por Deb (que queria prendê-lo) e Dex (que queria matá-lo). Jordan sabia que os dois eram irmãos, e sabia quem Dexter era. Bastava dar um passo pro lado e deixar os dois irmãos se esbarrarem. No meu sonho Jordan Chase contaria a verdade de Dexter (com provas, é claro) para Debra. Assim ele se livrava dos dois. Imagina como não teria ficado sensacional isso?

      • Kesia diz:

        Verdade Débora!
        A série foi igual ao local onde Dexter desovava os corpos, um mar, só que de possibilidades perdidas!
        Gostava do tom de terror com que o Chase falava “tick tick” assustando o Dex e a Lumen. Queria que ele fosse mais destacado e tivesse maior exibição da ideologia masculinista que ele e os “amigos” seguiam. Não tinha nada a ver ele ser um “guru de auto ajuda” que aceitava mulheres em seus seminários. Ele era um misógino perigoso e devia ter sua trama enfocada.
        Sim, adorei sua sugestão quanto a ele desmascarar o Dexter diante da Debra. Isso evitaria as confusões e as situações forçadas da 7ª temporada!
        Quanto ao Isaak, aconteceu o mesmo. Um vilão que podia ter sido grande e não foi!
        Eu adoro o ator que o interpretou. O Ray é lindo(que homem!!!!) e talentoso. Francamente as únicas coisas que me prenderam na 7ª temporada eram os confrontos verbais entre ele e o Dexter, as ameaças como no caso dele estar no apartamento do Dex e também ter mandando bala em cima dele na loja de rosquinhas; e tb, os possíveis conflitos entre Dexter e sua irmã(o que não aconteceu) somando a ótima atuação da Jen que roubou cena!

        O Dexter por outro lado, se comportou do tempo todo como um COVARDE! Por mais que o Isaak fosse gay enrustido, ele tinha (com perdão da palavra) bem mais colhão que o Dexter! Veja as situações: quando ele liga pro Dexter este fica tentando mudar o assunto sobre a morte do Viktor; quando o Isaak tá seguindo ele, o Dex vai para uma direção onde tem um bar de colombianos pra estes matarem o Sirko, e este elimina TODOS ELES(inclusive Deb o apelida de “fucking exterminator”,kkk); quando Isaak vai preso, Dexter vai falar com ele, porque este está…PRESO!
        Dexter entra no apartamento do Isaak e mata…um assassino de aluguel que iria matar o Sirko!!! Não basta ser covarde tem que ser BURRO!
        Mas, como vc tinha citado em um post sobre a sofrível 7ª temporada, Isaak era o chefe da máfia ucraniana, por mais coragem que tivesse e tb receio de talvez ter seu envolvimento com o Viktor descoberto, o homem era o CHEFE! Ele podia, e devia, mandar seus capangas irem atrás do Dexter e não fazer td sozinho!!!
        Quando o Isaak estava pronto pra voltar pra Kiev como foi mostrado no episódio Argentina, ele devia ter…VOLTADO pra Kiev!! Sempre imaginei ele voltando, mostrando que o George queria derrubá-lo porque tinha conluio com os colombianos, passado um tempo, e voltado pra Miami com mais poder e com mais vontade de destruir o Dexter, seria uma baita pedra no sapato desse e quem sabe, podia matara a Hanna! Enfim, tantas possibilidades e um grande desperdício de antagonista, do ator e da trama.
        Sem falar que eu imaginava o Isaak voltando e promovendo um “banho de sangue” entre ucranianos e colombianos! Enfim, parece até o nome daquele belo e triste filme com o Leonardo DiCaprio, “foi tudo apenas um sonho”.
        Na 7ª, o relacionamento da Deb com o Dex devia ser mais enfocado, os conflitos de saber que o irmão é um serial killer deviam ser mais emocionantes e reais! Invés disso optaram por um romance chato e medíocre de um Dexter imaturo com uma pseudo-vilã que tb poderia ser uma personagem interessante!
        A 8ª teve tanto erro, tanta falha, que se eu enumerar cada uma, vou encher sua página, kkkkkk.
        ps: queria que me falasse sua opinião quanto a dois fatos:
        Primeiro: o que achou da atitude da produtora-executiva Sara Colleton de se apressar em explicar o desfecho da série?
        E o que vc acha da possibilidade de spin-off? Vc acha que cola(na minha opinião, NÃO)? Tem alguns comentários em fóruns americanos e no próprio Dexter Brasil que podem colocar o Quinn como protagonista. O que acha dessa possibilidade.
        Pra mim, Dexter acabou, por todos os rumos que teve, simples assim.
        É isso querida. Sentirei saudade da série, sim, pelos primeiros anos, pelo lindo do Michael C.Hall e pela adorável Jennifer Carpenter; mas, com uma boa dose de desilusão e decepção! Foi um adeus com gosto amargo!
        Agora to no aguardo da 5ª temporada de Breaking Bad porque to revendo a 4ª(no canal AXN) pq tinha perdido muitos episódios dessa penúltima, e a 5ª já vai começar no mesmo canal no início de outubro. Tb to gostando da série The Bridge que tá no lugar de Dexter que irá estrear a decepcionante 8ª temporada no FX dia 20 de outubro.
        No aguardo da 3ª temporada de Homeland.
        Tem duas séries(uma na verdade é minissérie, tem um quê de Homeland) que to querendo muito ver: a primeira é Hostages(a minissérie) e a segunda The Blacklist. Confesso que sou meio “serimaníaca”, kkk.
        Abraço querida.

    • abelhafistula diz:

      O final de Breaking Bad está fodástico. Adoro Homeland, sou fã da Carrie. E curto muito, mas muito mesmo American Horror Story.

    • Iceman diz:

      Ninguém merece ativismo feminista em comentários sobre séries de televisão…
      Jordan Chase não era masculinista, vc nem sabe o que este termo significa, então não diga besteiras.

      • Luli diz:

        Não é ativismo feminista querido. É a realidade!!
        Veja qualquer site masculinista do Brasil e do exterior e a maioria prega: pedofilia contra meninas, estupro corretivo de lésbicas, proibição de métodos anticoncepcionais, morte para estudantes universitárias, humilhação e bullying contra universitárias e trabalhadoras, direito à paternidade para estupradores, apoio para regimes talebãs, etc.
        Se isso NÃO é misoginia, não sei o que é. Então acho que quem está falando besteira, é vc. Abs.

  12. Bruno diz:

    Todo mundo esqueceu do Harrison. Fiquei puto com a série que não desenvolveu ele de jeito nenhum, qual era o sentido dele ali? 8 anos jogados no lixo

  13. Lucia diz:

    Concordo totalmente com seu texto. Faz tempo que eu disse que os roteiristas de Dexter tinham perdido a mão. A única explicação que existe para a mudança de personalidade de Dexter é que, como você disse, Dexter não era um psicopata. A adoção do código por Harry e Vogel foi um grande erro na criação do menino Dexter.

  14. Lawn diz:

    Particularmente não gosto de criticas muito ranzinzas… Parece que se o final não for do jeito que gostaram então foi o pior do mundo… Se a 4 temporada foi ótima nunca mais vai ter uma boa…..
    Uma serie, principalmente nos EUA que não tem historinha sempre com final feliz como aqui, dá o final de acordo com a historia e naum de acordo com o desejo de fãn e seguidores…

    O final foi coerente, você não precisa gostar da morte de Deb, do Dexter Lenhador, da hanna com o harry mas tudo faz sentido se param de criticar e passam a entender…

    Hanna e Harry: Pelo amor de Deus, ninguem entendeu que Dexter não deixou o Harry pra ela criar?? Ele deixou com ela pra encontrar com eles depois….. Acontece que Depois que a Deb morre e ele decide se afastar Hanna ja esta embarcando com Harry e Dexter toma essa decisão, nã havia mais nada a fazer….

    Morte da Deb foi sensacional, apesar de não ser a minha torcida, mas ela enfrentando a justiça e sendo presa pela morte de laguerta desagradaria muito mais fãs do que esse final, e é justo o Dexter ter uma perda de verdade pelo que ele fez…

    Dexter joga todo mundo no mar, até o irmão que ele gostava ele jogou, não teria porque não jogar Deb, eh assim que ele sempre fez….

    Dexter lenhador: ELe esta convivendo diariamente com o barulho de serra eletrica, que foi onde começa o trauma dele, com a mãe sendo esquartejada na frente dele, eh uma punição que ele mesmo se impos…

    Obs. Uma policia não pode ir atras de uma pessoa fora de sua jurisdição, por isso o desespero pra hanna sair do pais, la na argentina ela esta salva…

    • Leonardo Oliveira diz:

      Ok. Por partes:

      O nosso desgaste com respeito ao Harrison vem bem antes do final da série. A única cena em que ele é útil é no final da 6a temporada, nas mãos do inútil Travis Marshall. Ninguém pensou em dar a ele um rumo como fizeram com Lilly Anne, sua filha no livro, e ele acabou sendo apenas uma pedra no sapato do Dexter. Ponto.

      Sobre a Debra: a morte dela foi realmente boa pra série. Mas sob aquelas circunstâncias? Um cara nada a ver, desamarra um vilão nada a ver e ele vai lá e mata a Debrah? Um cara sem enredo, sem sentido nenhum, simplesmente derruba a segunda personagem mais importante da série? Se fosse pra acabar assim, poderiam simplesmente terem feito ela perder o juízo por ter matado a La Guerta… Ok, continuando…

      Sobre o Brian: PUTA QUE PARIU, tu nao lembra que ele deixou o corpo lá pra ser achado? e que quem lidou a partir daí, foi o departamento? Lembra, que o Dexter fez parecer um suicídio e tals? Pois bem…

      Dexter Lenhador: o exílio ao qual ele se impôs faz, de fato sentido, e essa parte da serra elétrica eu não tinha pensado. Ponto pra ti.

      Uma conclusão rápida: tamparam os buracos da estrada que foi a série, com areia: está superficialmente coberta, mas se você olhar melhor, mexer um pouco, você verá que aquilo não está certo.
      A série desanda depois que do funeral da Rita, e viveu de espasmos enquanto estava em coma, como aquele fodendo 7×8.

      Quem viu o começo da série esperava um final tão profundo quanto? Ou esse ano final da malhação ficou de bom tamaho devido a complexidade dos personagens?

  15. parabens pelo texto!

    primeiramente, acho q tenho um defeito no q se refere a avaliar filmes/seriados, pq p eu n gostar de um tem q ser mt ruim. mas enfim, acho q da 5a temporada em diante acabei assistindo dexter mais pelo q ja tinha mostrado nas temporadas anteriores doq pelo q realmente ela estava mostrando. n sou mt bom em perceber os detalhes logo de kra, mas assim como vc algumas coisas me incomodaram mt.. o quinn q tinha tudo p ser o novo doakes mas acaba pedindo a mao da debra p dexter nos ult episodios… o batista q foi largado no final da serie … e dentre tantos outros erros q eu lembro mas n quero mencionar p o texto n ficar gigante, o q mais me incomodou foi, sem duvida, a piedade q o dexter emocional oferece ao saxon. tenho certeza q o dexter frio e calculista do comeco da serie n teria pena de cravar uma faca no peito daquele kra, afinal ele n ia perder o voo por alguns minutos ali ne.

    como mencionaram ai em cima, a minha temporada seria o dexter sendo perseguido e encurralado de todos os lados -oq a laguerta foi a ultima a tentar fazer- mas oq aconteceu foi exatamente o contrario: no penultimo episodio tem um momento em q nem parece q o dexter ja foi um serial killer tamanha foi a tranquilidade da cena. quanto ao ultimo episodio, acho q foi um final digno p serie, mas tbm senti a mesma preguica q vc sentiu por parte dos roteiristas. PARA MIM, o fim ideal seria o dexter se jogando em alto mar junto c a deb, afinal depois de tudo oq ele passou, e, principalmente depois da morte da deb (q ele poderia ter evitado mas n evitou pq teve pena) ele n conseguiu a tao desejada vida pacata q ele tanto queria. no entanto, o peso das escolhas q ele fez em toda sua vida foi tamanho q n permitiu q ele se suicidasse ali…

    enfim tenho tantos outros comentarios… mas ja sei q dei fumada demais nesse comentario q prefiro terminar por aqui. mas afirmo q no fim das contas os pros do seriado superaram os contras. e se um dia me sugerirem um seriado p assistir, mesmo com algumas ressalvas, indicarei dexter!

    acho q aqui foi mais um desabafo de um fa da serie q esperava mais do seriado, principalmente do final, mas ainda sim n me arrependo de ter assistido ate o final.

    obg pelo espaco!

    • abelhafistula diz:

      Obrigada pelo comentário.
      Você ainda saiu bem da série. Depois do estrago não consigo considerá-la boa, mesmo que o início tenha sido sensacional. Não tenho coragem de indicar Dexter pra ninguém, rss

      • Barrets diz:

        Tb concordo nesse ponto. E seu texto está perfeito. Enfim, o final conseguiu matar qualquer saudade que eu achei que sentiria da série.

  16. jorge diz:

    Concordo com quase tudo!
    Dexter sim era um psicopata e sociopata logo um serial killer!
    E Isaac, realmente poderia ter sido bem aproveitado, melhor que um viadinho com sede de vingança!

    • Kesia diz:

      A questão não era a sexualidade do Isaak mas o aproveitamento do personagem.
      O traficante Gus Fring do Breaking Bad era viado(até mais que o Isaak, vide o jeito bem afetado e metódico do Fring) mas tinha tanto colhão quanto o Walter! Foi um vilão completo e sua sexualidade tava sem segundo plano.
      O Isaak enfrentava o Dexter e esse se borrava de medo, isso era legal, mesmo que já tivesse sido revelado o que o Isaak e o Viktor realmente fossem um do outro, o que importava era o ódio, a premissa de vingança e a coragem com que o Isaak enfrentava o Dexter e não temia ele, e sim, o protagonista se borrava.
      Aí veio a revelação sobre o Isaak. Neste instante, ele tinha que ter voltado pra Kiev, recuperado e poder, e voltado pra Miami pra matar ou a Hanna(o que seria melhor) ou um dos enteados, ter se tornado tão cruel e diabólico quanto seu colega de vingança da série Breakin Bad. Mas, os roteiristas criaram uma aliança babaca e sem sentido que estragou o que poderia ter sido um dos maiores vilões da série. Infelizmente só a beleza e principalmente o talento do ator que interpretou o Sirko não foram suficientes pra sustentar um roteiro medíocre!!

  17. Jussara diz:

    Oi, Débora,

    Vi seu texto lá no dexter brasil, e vim pra cá, pois prefiro comentar aqui. Eu sou uma fã da série, mas apesar disso concordo com muito do que vc disse. E apesar de não concordar com algumas coisas, não vou me ater a isso.

    Eu não gostei do Dexter isolado, achei o pior fato do episódio (pior ainda a explicação da Sara C. sobre o “vazio”). Quanto à morte da Deb eu acho que foi uma boa sacada, pois ela era uma pessoa “normal”, havia matado uma inocente, e mais cedo ou mais tarde iria surtar com essa culpa/remorso, acho que seria um fardo muito grande para uma pessoa idônea como ela carregar (ela ficou mal mesmo quando acertou um bandido). Tanto que ela mesma fala pro Quinn que merecia aquilo. E acho que o Dexter ter sido o culpado pela morte dela foi mais bem sacado ainda, pois por ele ter abandonado o dark passenger e ficado indeciso entre os dois mundos, é que deixou de matar o Saxon e deu no que deu. Sendo que o combinado com o pai dele era proteger a Deb.

    Eu detestei a Vogel, pois como vc disse, ela tirou o lugar do Harry, e eu sempre gostei muito dele. Até o James Remar parece que ficou chateado; ele disse que o código tinha que ser apenas dos dois, e que deviam ter se aprofundado nisso. O Saxon foi inserido do nada, fato.

    Ri muito de vc falar que o Quinn é feio. Confesso que loiros não me atraem, mas eu até que não acho ele super feio, ele tem um jeito másculo que me atrai, mas que o ator está acabado e demonstra ter mais idade que tem, isso tá. E tb está magro demais. O que sempre me irritou é que ele não abre a boca pra falar, e o ator é sempre antipático nas entrevistas, mais do que o Quinn é na série. Mas isso que vc falou de ter pessoas feias (fora do padrão hollywoodiano) no show é bem legal mesmo. Eu tb comprei o casal e acho que eles combinavam.

    Personagens desnecessários e Dexter apaixonado: concordo com o que vc escreveu
    Hannah com Harrison: tb não curti

    “Dexter chorou mais a morte de Vogel (pessoa que ele conhecia há três semanas) do que a perda da irmã” : concordo. Além do mais achei o Michael meio canastrão na cena. E olha que acho ele um ator fantástico, super expressivo, completo, mas faltou emoção, parece que o diretor estava com pressa.
    “Elway não tem bunda” : ri alto, pois eu reparei nisso na sequência do aeroporto. Mas assim como o Quinn ele é magro demais, acho que isso afeta a bunda. 😀
    Realmente as referências ficaram perdidas e forçadas no meio de um episódio fraco.

    No mais, fiquei com a impressão de que o episódio foi feito às pressas, que os atores tinham que gravar logo e ir pra casa, sei lá.
    Detestei Dexter lenhador, e a desculpa que estão dando de que isso é uma alusão à motosserra ligada à mãe (não sei se foram os produtores/roteiristas que disseram, mas tem muita gente falando isso lá no site) a mim soa infantil, simplista e superficial, pra dizer o mínimo.
    Eu esperava um final épico, à altura da inteligência e sagacidade do Dexter de antes. Por tudo o que o Michael falava nas entrevistas ao longo das temporadas ele dava a entender que Dexter seria descoberto ou preso. Eu torcia pela descoberta, por uma perseguição e uma fuga espetaculares.

    • abelhafistula diz:

      Quinn não é tão horroroso, mas não acho ele bonito. E o cara não tem bunda mesmo né? Ficava assustada com isso.

      Em relação a Michael C. Hall, concordo muito com você. Ele tava no piloto automático há muito tempo. Em vários episódios ele foi canastrão.

      E esse negócio dos produtores explicarem o final… RIDÍCULO. Um episódio, temporada ou história devem falar por si só. Se precisa de alguém explicar o que aconteceu… já perdeu todo o sentido.

      Valeu pelo comentário!

      • Jussara diz:

        Também penso isso sobre o Quinn: não é horroroso mas também não o acho bonito (não faz meu tipo). Já o ator que fazia o Elway, além de não ter bunda tem uma pele beem acabada. Até na foto que você publicou aqui no post dá pra ver (o Quinn não fica atrás, aparenta mais idade do que tem).

        Sobre os produtores explicarem o final, assino embaixo do que você falou. É como jogar m. no ventilador; quanto mais leio as explicações mais irritada fico, e menos sentido eu vejo no último episódio.

        Parabéns pelos seus textos (lembro de um outro que causou polêmica lá no Dexter Brasil, mas não cheguei a comentar), e mesmo não concordando com tudo, reconheço que você sabe argumentar (e escreve bem).

        PS: por que você não escreve sobre Homeland?
        Por ser da Showtime.. será que periga esses produtores e roteiristas medonhos colocarem as mãozinhas deles lá também? Medo!

  18. Rodrigo Ebner diz:

    Eu concordo que o final pode ter sido decepcionante. Mas dois pontos foram bem acertados:

    – o isolamento do Dexter, recobrando a inteligência (ou um pouco de bom senso) que lhe faltou durante toda a temporada

    – a morte de Debra, pois ela, talvez até mais que o Dexter, vagava em dois mundos e vivia em dilemas entre o certo e o errado.

    Há quem concorde que as últimas quatro temporadas tenham sido fracas, mas eu as achei bastante interessante, pois cada uma tratou de uma faceta de Dexter (relacionamento, familia, o eu interior, justiça). Na minha opinião, o ponto fraco dessa última temporada, e do desfecho decepcionante, poderia ter sido o ponto forte se melhor explorado: todos os conflitos das últimas temporadas de uma só vez. Achei muito interessante a idéia de ele ter problemas com a Deb, enquanto reencontra Hanna e começa a entender partes do seu comportamento, inclusive ao tentar ajudar Zach. Se parar para pensar, o assassino frio, já não sabia se era tão frio assim, e os conflitos aumentavam a cada instante.

    A impressão que fica é que a pressão de ser a última temporada foi má administrada pela equipe de roteiro/produção. Como citei acima, brilhante a idéia de trazer todos os assuntos à tona, mas algumas das coisas ficaram muito superficiais.

    Enfim, mesmo tendo me decepcionado um pouco com o final, ele fez bastante sentido para mim e, de certa forma, fiquei satisfeito.

    Independente disso, Dexter foi a melhor série de TV que já assisti.

  19. Sem falar nesse Saxon…

    O Dexter já enfrentou um irmão, um amigo, uma inspiração (Trinity)… e eles deixam como Final Boss um pedra-no-sapato-que-não-me-deixa-curtir-minha-lua-de-mel-em-paz

  20. Afff… Vamos fazer o seguinte. Fingir que a série acabou na quarta temporada.
    Com a morte de Rita, eles tinham tudo para potencializar a série pois até ali houve uma “progressão de humanidade” crescendo nele… e tudo por causa da relação com aquela família (Rita, Astor e Cody). Foram ELES que mostraram que Dexter era humano não a Hanna q do dia pra noite passou de puta assassina pra mamãe amorosa.

    Perderam uma ótima oportunidade de trabalhar o relacionamento de Dexter com a sua VERDADEIRA família… Imaginem a essa altura a Astor quase adulta vivendo com o Dexter e percebendo suas peculiaridades… e como ela lidaria com isso. Ao invés disso os roteiristas simplesmente mandaram a mulecada ir morar com avós e deixaram o Dexter livre pra ter uma “gata” diferente por temporada… e Finalmente se apaixonar por uma Serial Killer e entregar seu filho pra ela…

  21. Marcelo diz:

    Achei que o Batista descobriria tudo sobre o Dexter ou quase tudo pois no começo da temporada ele fica com os pertences da Lá Guerta e lá estava também a sua investigação sobre o Dexter e o Doakes.
    Mas enfim pra mim a temporada terminou pra começar uma nova:
    Dexter Bruce Banner

    • abelhafistula diz:

      Seria ótimo se ele tivesse descoberto. Seria mais um problema pra Dexter. Mas infelizmente a série tem preguiça de enfrentar problemas assim.

  22. Fernanda Lisboa diz:

    Juro por Deus que esperei loucamente pelo seu balanço final, procurei no seu twitter, facebook, salada de bacon e nada. Você sintetizou bem o meu sentimento pelo final de Dexter, achei um final covarde, onde ficou parecendo que os roteiristas não tinham mais tempo para desenvolver nada e inventaram esse final. Acho suas críticas sensacionais, pois você é racional e não sentimental como os fãs da série

    • abelhafistula diz:

      Oh Fernanda, obrigada. Fico feliz que você tenha se lembrado dos meus textos, e lisonjeada por você ter procurado esse balanço final. Valeu mesmo!

      E realmente, covardia foi o que tomou conta da série nos últimos anos.

  23. Já que ninguém falou, aqui vai:

    Na tomada em que ele conversa ao telefone com Hannah e depois joga Deb ao mar, é mostrado, ele estava visualmente a centenas, ou milhares de metros de qualquer lugar, a silhueta dos prédios de Miami está beeeeem ao longe. Daí ele navegou no seu barquinho rumo a um furacão/tempestade tropical que foi imediatamente engolido e virado pela tempestade, ok? No Fade In eu já fiquei puto, nunca que um psicopata se suicidaria… Mas, Fade Out, destroços do barco foram achados muito, muito longe da costa… e na cena seguinte ele é um lenhador? WTF?!?!?!?!?!?!?!

  24. Tiago César Alberto diz:

    Concordo com boa parte do que foi dito, só uma coisa com relação a Deb ser jogada no mar. Diferentemente de todos os assassinos que foram jogados em um plástico preto, a Deb foi jogada em um lençol branco. Alguma referência poética a pureza que ela representava para o Dexter, mas fato é que a Deb TAMBÉM É UMA ASSASSINA (muitos acabam se esquecendo disso). Achei bem apropriado ela ter sido jogada no mar sim. Só achei que faltou inteligência no fim da série. Dexter foi sempre muito bem escrito, com ironias e reviravoltas, podemos dizer sim que o fim foi inesperado (ninguém apostava que Dexter seria um lenhador.. mas a ligação da motosserra com o que causou o trauma ao Dexter é até aceitável), mas acho q foi um inesperado negativo, do tipo: ” Não acredito que acaba assim…” Realmente esperava o Dexter perseguido, ou morto, ou preso ou até escapando de tudo inteligentemente, mas ao menos terminando como o assassino inescrupuloso de sempre, não como um depressivo incapaz de se matar… Não gostei.

    • abelhafistula diz:

      Ainda acho que tudo foi muito fácil pra ele. Ele deixou de passar aperto nos últimos anos. Queria ver a polícia atrás dele. Talvez não que ele fosse preso, mas que fosse perseguido por todos os lados, para assim sua inteligência falar mais alto e vencer tudo. Enfim… o final já vinha desde a quinta temporada.

  25. Samir Daneu diz:

    Definição perfeita da série e de seu último capítulo. Eu não sou muito de entrar pra ver comentários de séries e tals. Assisti toda a série de Dexter, e me identifiquei muito com essa análise, pois eu queria saber de outras pessoas o que acharam deste final e das últimas temporadas. Eu dei graças a Deus que a série acabou. Uma pena ter se perdido tanto. Queria adicionar o fato de que muitas cenas foram muito mal feitas do ponto de vista técnico. Parece que foi feito corrido, tudo nas coxas.

    • abelhafistula diz:

      Oi, Samir. Brigada pelo comentário. Eu só não citei os problemas técnicos porque o texto ficaria gigante. Mas tudo estava sendo muito mal feito há muito tempo. E a tempestade? Chroma key horroroso.

      • Samir Daneu diz:

        Só citando o último capítulo, algumas cenas pareciam amadoras. O Dexter saindo com a Deb do hospital numa boa, sem ninguém perceber, o boneco(bebê), quando a câmera filma debaixo, a cena que o Batista pega o Saxon, foi muito mal feita… Aliás, o personagem que mais sofre em toda essa decadência do Dexter foi o Batista… Deus do céu, ele virou um figurante na série… Acho que até o ator que interpreta ele estava tão puto, que parecia um robô nas filmagens…

  26. Marcelo Campos diz:

    Apesar de um serial killer fodástico, para mim a quarta temporada estava acabando enfadonha com a fórmula Dexter x Personagem com transtorno psico social. Para mim, a partir dali, imaginei que aos poucos a casa do Dexter iria cair, como por exemplo, que a quinta temporada focaria no assassinato da Rita, e nas várias pontas que a tragédia levaria ao convívio de Dexter com Arthur Mitchell, que posteriormente Debra descobriria os segredos do irmão etc. Daí as consequecias do fim da quarta temporada se resumiram a dois episódios, nos quais se enterrou a Rita, despachou-se Astor e Cody e Dexter seguiu a vida sem empencilhos, novamente com a fórmula Dexter x Personagem com transtorno psico social. Os roteiristas fizeram um roteiro tão porco que desperdiçaram um episódio da sexta temporada para (porcamente) amarrar o plot do Dexter com a família de Arthur. Para mim não foi no segundo episódio da sétima temporada que a série acabou, foi no segundo episódio da quinta. Acaso houvesse um problema na produção que impossibilitasse a filmagem da quinta temporada, Dexter deixaria seus fãs muito putos, mas com a certeza de que assistiram a uma boa série.

    • abelhafistula diz:

      Concordo com você, a série acabou no segundo episódio da quinta temporada. Mas eu foi boba demais e acreditei que pudesse melhorar. E isso se deve ao fato da minha ligação com os personagens. Fui acreditando, acreditando até não dar mais.

    • Rodrigo Bressianini diz:

      Discordo de uma coisa, o episódio da família do Trinity foi a única coisa boa da sexta temporada, de resto pra mim foi a pior, parecia um filme de terror trash, as bizarrices do DDK fizeram o Dexter e resto ficar em segundo plano.

      • Marcelo Campos diz:

        Sim, foi um bom episódio, mas totalmente deslocado do enredo da temporada. Foi de fato um episódio a parte, que deveria ter ocorrido na quinta temporada. Mas no afã de enterrar logo Rita, despachar as crianças e deixar o Dexter livre para continuar seu combate contra os serial killers de Miami, os roteiristas deixaram um furo enorme para trás, e decidiram desfazer a cagada na sexta temporada.

  27. Abdiel diz:

    Gostei muito do seu texto expressou o que em parte estou sentido, uma puta frustração, caramba era a melhor serie daquela época, pelo menos a mais corajosa na minha opnião, e faz isso qualé, vamos criar vergonha na cara e pensar que não é só dinheiro filho, é uma fabrica de sonhos( em analogia com hollywood), SONHOS, a ideia é fazer as pessoas se apegarem a uma historia acreditando q ela era real e no fim acordamos e percebemos que o passeio foi foda, não tivemos isso aqui…. não queremos essa merda que enfiam goela abaixo, por isso breaking bad deu certo, pq não duvidou da nossa inteligência….

  28. É bom ler blogs do pessoal com opinião diferentes, é interessante 😀

    Mas sei lá, concordo contigo que a série foi do luxo ao lixo, até as 4 primeiras temporas era o luxo, e a partir dai decaiu. . .pois foi a partir dai que vimos a “humanização” de um Serial Killer, depois da morte de rita, vemos dexter entre seus altos e baixos pelo seguinte motivo : Sentimentos, acho que isso fez com que a série decaisse, não o quanto o povo fala, mas decaiu.
    Já havia comentado com outras pessoas, mas acho que fui o único que não viu importância em mais niguem além do dexter e da Deb, Harrison? Sempre foi uma ponta solta, onde era mais criado pela babá do que pelo pai, Quinn, surgiu para investigar dexter e no fim ganhou apreço pelo serial Killer depois de Matar Saxon, os personagens coadjuvantes, nunca tiveram histórias exploradas, até nos livros, que seguem rumos diferente do seriado.

    A história era egoísta assim como foi o personagem principal, era apenas focada em dois, Debra e Dexter, alguns giravam em torno deles, lógico que no começo da série exploravam mais e interagiam mais com eles, principalmente com dexter, pois queriam mostrar ao publico como um Serial Killer que não deveria estar ai iria interagir, pra voce conhecer a mente do personagem, depois, não foi preciso pois saberiamos como ele iria reagir.

    Ao todo, gostei muito do Final proposto, não subjulguei as cenas, açoes de cada personagem e muito menos o rumo de cada, e sim o principal, nosso amado personagem. Ele ter matado debra, ok, ele fez isso a série inteira, afinal, ele nao iria deixar a irmã de personalidade forte e durona como foi ao decorrer da série, menos no começo da ultima temporada, ficar daquela maneira. Ele ter jogado a Irmã no mar? ACHEI ISSO SENSACIONAL, porque se ele a matou, ela era mais um troféu, o pior deles e o mais dolorido para ele, o mar era o caminho dele para se acalmar, ele nunca conseguiu chorar na frente de deb nem nas piores das hipoteses, e após a morte ele decidiu que ao perdê-la, nada mais valia a pena e resolveu se exilar, o que acho muito melhor do que qualquer outro final.

    Agora o contexto do Dexter Lenhador? Não julgo o rumo de sua vida, mas este era apenas um dos caminhos, ele poderia ter se tornado açougueiro, o que seria engraçado, teriamos de volta o humor negro, ele poderia ter virado muitas coisas, mas foi lenhador, este era seu castigo, isolado, sem seu passageiro sombrio, sem nada. e a cena final, aquilo me doeu o coraçao, ele MUDO, nada de voice recorder dizendo, o silêncio preencheu a ultima cena, o vazio, a crueldade de uma vida cruel, foi assim que sempre vi a série, um comflito psicológico desde o inicio, desde a morte de Brian até a morte de Debra, só que houveram processos do qual ele foi deixando claro que queria acabar com aquele passageiro sombrio.

    Desculpe discordar, mas curti seu texto pra caramba e parabéns, só que vamos olhar para o principal e não para o que teria sido a série !

  29. LeoSens diz:

    Dexter, desde o começo, uma série incrível, onde pudi transitar entre mentes e relações muito singulares e sob perspectivas diversas. A série passou a mostrar desleixo? Não exatamente, a série mudou o foco, e a base. A única coisa que foi um pecado, foi a humanização de Dexter, ele não matou Saxon quando teve chance, ele largou tudo pela Vaca Mckey, ele se envolveu, e por mais que isso fizesse parte da história, não era o que trazia encanto para série. Eu adorava quando ele trazia rosquinhas teatralmente para o Miami Metro Homicide, ocultava provas técnicas pra trazer alguém para aquela mesa da santa serial ceia, eu adorava o assassino frio implacável, o técnico forense simpático e cênico, mas, isso se perdeu e o personagem mudou o perfil. SE ele protegia alguém era porque era seu, se poupava, era o código, se tinha problemas e tramas, era porque precisava encobrir um crime. Então, sua vida se afundam em DR’S, Loiras e ‘ser ou não ser, matar ou deixar viver’.
    Quanto ao final, não quiria Hannah com o Harrison, nem a Deb morta e nem o DEx lenhador. Ele devia terminar como começou, camuflado, simpático, passando o código a Harrison, ajudando Deb na polícia e desviando uns meliantes pro divã plastificado dele. Não quero dizer que o fim não teve nexo, sentido e causa. Só digo que não foi do jeito que gostaria que fosse.

    Obs:

    Vogel é psiquiatra (médica) e devia ser a assassina da temporada.
    Dexter não foi passear na tempestade né? kkkk

  30. “As ideias do final não foram ruins”, quanto mais eu leio as defesas sobre a série, mais eu acho que as pessoas não entendem que este foi o grande problema destes últimos anos. E talvez por isso seja tão revoltante. Os elementos estava ali! Era só conduzir de um jeito mais coerente, mais maduro. Deb morrer e ser carregada como uma vítima não precisava ser uma coisa surreal, por ninguém ter visto. A simbologia bem trabalhada poderia ter salvo muita coisa.

    E essa preguiça de conduzir a série foi o que mais a afundou, principalmente depois de Hannah. Realmente, ele não poder ver uma loira que já tá todo apaixonadinho. E, algo que eu não tinha pensado é justamente que em meio a essas mudanças dele, ela tbm virou uma mocinha do bem. Como ela vai viver na Argentina? Como uma mãe solteira pra sempre? Emburreceram Dexter de um jeito que parece que ele nem cogitou o que aconteceria nessa pós fuga.

    Boa sorte com os haters, estou até os ouvindo chegar o/

    Ps. Elway não tem bunda mesmo! Gente, que estranho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s