Você precisa conhecer It’s Always Sunny In Philadelphia

 IASIP

Essa é minha série de humor favorita. E só conheço uma pessoa que assiste, o Zé Vinícius, que me apresentou o show. Não vejo ninguém falando dela e por isso faço um convite, assistam It’s Always Sunny In Philadelphia (IASIP). Com muita loucura e humor negro, IASIP estreou na Fox em 2005 e, três dias depois, foi movida para a FX. Não sei o que houve, mas o grande público deve ter achado a série estranha demais, e de fato é, talvez por isso eu goste tanto. Apesar de pouco conhecida no Brasil, IASIP é uma série de sucesso mantida por seu nicho de fãs. Caso contrário não estaria em sua 8ª temporada.

IASIP nasceu da necessidade de seu criador, Rob McElhenney. O ator, que também é um dos protagonistas do show, estava com dificuldades em conseguir papéis em Hollywood e pagar suas contas. Então, com uma ideia na cabeça e uma câmera na mão, gravou uma cena em que um cara não sabe o que fazer quando o amigo diz que tem câncer. Esse short film foi produzido com a ajuda de amigos, os atores Charlie Day e Glenn Howerton, também protagonistas da série. O pessoal da Fox gostou do material e topou produzir a série. E vale lembrar que a cena do câncer foi o tema de um episódio da primeira temporada.

Protagonizada por atores pouco conhecidos; Rob McElhenney (Mac), Glenn Howerton (Dennis), Charlie Day (Charlie) e Kaitlin Olson (Dee); a série só conta com um medalhão, Danny DeVito (Frank), que entrou na 2ª temporada. A série é sobre quatro amigos e o pai de dois deles (Frank) que administram um bar na Philadelphia, o “Paddy’s Irish Pub”. Chamá-los de amigos é apenas uma forma de tentar explicar a gangue (como eles chamam o grupo, the gang), porque eles não se amam, não são carinhosos uns com os outros e não se ajudam. Muito pelo contrário, na gangue é cada um por si, sem medir esforços de ferrar com o outro.

Para mim o título da série é uma grande ironia. “É sempre ensolarado na Philadelphia”. Ok, de fato os dias da cidade mostrados pelo show são quase sempre claros e lindos, mas o fato é que a turma só fica no escuro bar. Tem até um episódio que brinca com isso. Eles discutem e bebem na mesa do bar, e Charlie diz pra eles aproveitarem o dia. Aí a cena é cortada e os cinco aparecem no parque da cidade, porém bebendo e conversando as mesmas bobagens. Não interessa o ambiente, a iluminada Philadelphia nunca entra na alma da gangue.

Todos os personagens são egocêntricos e possuem sérios problemas de relacionamento, pra não falar distúrbios psicológicos. Para mim IASIP é um ensaio sobre a loucura. Os personagens são metidos, falsos, covardes, narcisistas, ignorantes, manipuladores, mentirosos, preconceituosos, burros, influenciáveis e por aí vai. Um dia parei pra pensar e não vi qualidade em nenhum deles. Mas isso é o legal da série, mostrar como o ser humano pode ser babaca e fazer coisas absurdas. Por ser exibida em um canal a cabo, o elenco/produtores/roteiristas (que são Rob, Glenn e Charlie) têm total liberdade de criação, e isso resulta em uma série corajosa que só fala sobre assuntos polêmicos: racismo, homofobia, pedofilia, aborto, bebês abandonados, barriga de aluguel, nazismo, eutanásia, prostituição, uso de drogas, religião e por aí vai.

IASIP é um show de acontecimentos absurdos e politicamente incorretos. Como em um episódio que Charlie e Dee vão comer carne humana, em outro que Dee finge que seu imaginário bebê morreu só para ganhar auxílio do governo, ou quando os gêmeos Dee e Dennis fingem ser viciados em drogas para receber dinheiro do governo, ou quando Frank promove um concurso de beleza infantil tentando provar que não é pedófilo, ou quando Charlie cheira cola e come comida de gato para conseguir dormir em seu horrível apartamento, ou quando Mac se apaixona por um travesti e decide esperar até a cirurgia para consumar a relação, ou quando eles viciam um padre em cocaína e fazem o coitado abandonar a batina e viver nas ruas, ou ver Charlie apaixonado por uma garçonete durante oito anos sem nem ao menos saber o nome da garota.

A série é uma sequência de casos absurdos e inimagináveis. Os personagens têm sérios problemas de convívio social e subvertem completamente a lógica do politicamente correto. Mas o melhor de tudo é como a série sempre se supera. Adorei todas as temporadas, e achei que ela não podia melhorar mais, apenas manter sua qualidade. Mas os quatro primeiros episódios da 7ª temporada são o supra-sumo da história. É simplesmente incrível e chocante como eles (personagens) pioram e (a série) só melhora. Hoje a série está em sua 8ª temporada e mantém o alto nível de sempre.

IASP

Atualmente assisto Modern Family, Raising Hope e Louie. E curti muito Friends e Arrested Development, e outras sitcoms por aí. Mas It’s Always Sunny in Philadelphia é minha favorita ever. Não só por ser engraçada, mas por ser algo totalmente novo, inteligente e corajoso. Não conheço nenhuma série parecida com IASIP. Para mim a série é revolucionária. O produto é totalmente original e ousado. Afinal é difícil fazer graça com tantos temas polêmicos. Eu assisto à série e sempre me pergunto como eles tiveram coragem de tocar em determinado assunto.

IASIP é amada pela crítica e desprezada pelo grande público, que está acostumado à velha fórmula das sitcoms americanas. A série da FX é para um público reduzido, público que não necessita da claque (aquelas risadas de fundo de cena) para entender uma situação e rir do quão absurda ela é. A série é para um público que gosta e entende o humor negro sem se sentir ofendidinho. É pra quem sabe rir de si mesmo e ver as piadas escondidas por trás de assuntos polêmicos. É para quem gosta de pensar um pouquinho mais. Desculpe o clichê, mas It’s Always Sunny in Philadelphia dá um tapa na cara da sociedade toda semana. Vocês não têm ideia do que estão perdendo, uma das melhores comédias da década. Pra mim, a melhor.

*A 9ª temporada já está garantida

*Charlie (Charlie Day) é apaixonado pela garçonete (Mary Elizabeth Ellis) na série. Na vida real os dois são casados.

*Rob McElhenney e Kaitlin Olson se conheceram na série. Hoje são casados e têm dois filhos. Ou seja, quando ela aparece grávida no show (alugando sua barriga), ela estava grávida de verdade.

*Rob McElhenney engordou cerca de 30 quilos pra 7ª temporada só pra fazer a piada de que o nome do Mac é Ronald Mac Donald. E também porque o ator acha que não faz sentido os personagens evoluírem e ficarem mais bonitos ao longo da série, para IASIP e Rob o sentido é que eles fiquem piores a cada dia.

*Na 4ª temporada vemos Charlie e Dennis criarem a música “The Nightman Cometh”. A canção saiu da série em um musical comandado pela gangue em 2009, que percorreu várias cidades americanas.

Anúncios